terça-feira, 2 de outubro de 2012

Duas mortes trágicas em Tucuruí

Fotos: Wellington Hugles






Uma criança de 4 anos morre eletrocutada e moto-taxista tem vida ceifa em cruzamento











Uma criança de 4 anos morre eletrocutada e moto-taxista tem vida ceifa em cruzamento
O mês de outubro iniciou com duas mortes gravíssimas em Tucuruí, no final da tarde da última segunda-feira (1), uma criança de 4 anos de iniciais R. L. S, morreu eletrocutada, ao sair de sua residência as margens da Rodovia Transcametá no KM 1, onde cotidianamente brincava no calçadão da Auto Peças Três Coroas. Infelizmente neste dia um cabo de alta tensão da Rede Celpa rompeu-se e ficou ao chão por mais de seis horas, mesmo tendo sido acionada a equipe de manutenção, mas que até o horário do ocorrido não chegaram para realizar a manutenção. As 16 h, o menor R. L. S saiu de sua casa e correu para o calçadão, e, ao tentar subir pela lateral deparou-se com o fio de alta tensão no chão, inocentemente sem saber que o mesmo estava energizado, segurou para apoiar na sua subida, levando uma descarga de energia fatal, levando a criança a óbito imediato.
Revolta – A população revoltada com a falta de atenção e manutenção do sistema elétrico pela equipe da Rede Celpa tentaram apedrejar e atear fogo na caminhonete da empresa que chegou ao local após o óbito do menor, sendo contidos pelos PMs presentes. Um fato intrigante aos manifestantes, é que, só no mês de agosto o cabo rompeu-se por diversas vezes, quase causando outros acidentes, em face, aos péssimos serviços de “gambiara” que são realizados, apenas com emendas nos cabos de alta tensão, que com o calor diário e a alta carga de energia quebram diariamente.
192 – Os familiares e a população em geral ficaram revoltados ainda com a forma desumana que os socorristas do 192, trataram os moradores de forma agressiva e pedindo aos militares que dessem ordem de prisão aos manifestantes, em função de exigirem explicações, qual o motivo que levou os socorristas, que, sabendo que a criança estava a mais de 30 minutos morta no local ao lado do cabo energizado, retiraram o corpo sem aguardar os procedimentos necessários pelo IML Renato Chaves, segundo Roberto Furtado que viu todo o ocorrido, e, foi ele quem afastou o cabo do lado do cadáver do menor, “todos nós sabíamos que a criança estava morta. Como estes “caras” chegam e tiram o corpo do local do acidente sem a realização da perícia, isso é para tirar as evidências óbvias de mais um crime ocasionado pela Rede Celpa, esperamos que esta morte, novamente não fique em pune pelas nossas autoridades”.
Cruzamento da Morte
Na primeira hora da madrugada desta terça-feira (2), no cruzamento da Av. Getúlio Vargas com a Rua 25 de Dezembro no bairro do Jardim Colorado, um acidente fatal levou a óbito o moto-taxista Gilberto Santos de 25 anos, que estava retornando de seu trabalho para sua casa, a menos de dois quarteirões do ocorrido.
O ônibus de propriedade da empresa Viação Tucuruí que finalizava o transporte dos funcionários da empresa Dow Corning, trafegava no sentido bairro/centro, na avenida principal, que é localizada em uma descida acentuada, em face, ao bairro ser localizado em uma parte de morro, no mesmo momento o moto-taxista retornava a sua casa, e no cruzamento, devido ao horário, não observou o ônibus que descia em alta velocidade na sua preferencial, sendo apanhado lateralmente e cuspido a mais de 20 metros, seu instrumento de trabalho a sua moto, foi engolida pelo ônibus e arrastada por mais de 200 metros ao longo da avenida, ocasionando uma explosão que espalhou labaredas de fogo em toda a extensão do ônibus que foi totalmente incendiado.
Óbito – Com o impacto ocasionado pelo ônibus em Gilberto, e, em face, a queda, o moto-taxista, teve morte instantânea no local, por sorte, no ônibus só encontrava-se o motorista que saiu ileso do acidente.
Trânsito – O diretor da Companhia de Trânsito de Tucuruí – CTTUC Heber Bordana, que esteve no local do acidente, esclareceu a equipe de reportagem que muitos acidentes estão ocorrendo na cidade em função da falta de atenção a sinalização e principalmente pela falta de cumprimento da direção defensiva, “acidentes como estes poderiam ser evitados, se todos os participantes do sistema, começassem a ter a mínima atenção e o respeito pelas leis de trânsito”.  (Wellington Hugles)

Um comentário:

  1. cade a manutenção e digo mais cade o sistema que é assionado quando á casos de rompimento esse sistema é altomatico de cabo acontecer e a energia é a mais cara e essas empresas não envesti em prevensão vcs são uns assassinos (celpa).

    ResponderExcluir