Pesquise as matérias do JT:

Carregando...

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Sem explicações: Sancler Ferreira reincide contratos com as empresas: Siqueira Locações, MGM Construtora e Barreirinhas Junior




Sancler Ferreira reincide contratos com as empresas: Siqueira Locações, MGM Construtora e Barreirinhas Junior

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles


A Prefeitura de Tucuruí através da Procuradoria Jurídica, atendendo ao pedido do prefeito Sancler Ferreira, exauriu parecer de rescisão contratual, conforme o que rege a Lei nº 8.666 de 21 de Junho de 1993, regulamentada pelo art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, instituindo normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências.  Art. 78. Constituem motivo para rescisão do contrato: XII - razões de interesse público, de alta relevância e amplo conhecimento, justificadas e determinadas pela máxima autoridade da esfera administrativa (prefeito) a que está subordinado o contratante e exaradas no processo administrativo a que se refere o contrato.


Desta forma os Contratos: n° 028.2015.20.2.004, empresa Siqueira Locações Ltda - ME, contrato nº 030.2015.20.2.004, empresa A. O. Barreirinhas Junior Eireli EPP e contrato nº 029.2015.20.2.004, empresa M. G. M. Construtora e Empreendimentos Ltda - EPP, celebrados com o Munícipio de Tucuruí, ainda em 2015, foram rescindidos a partir do último dia 20 de Janeiro de 2016, em todas as suas cláusulas, foi o parecer da Procuradoria Jurídica de Tucuruí e homologado pelo prefeito Sancler Antônio Wanderley Ferreira, publicado no Diário Oficial do Estado do Pará de Nª 33060 datado de 1º de Fevereiro de 2016.


Milionários - Na verdade, muitos contratos existentes entre a Prefeitura e estas três empresas, a saber: a empresa Siqueira Locações Ltda - ME tem contratos de aluguéis de embarcações para o transporte escolar para as ilhas, transporte de alunos em ônibus e outros veículos, locação de veículos pesados para a prefeitura, totalizando mais de R$ 15 milhões, já a empresa A. O. Barreirinhas Junior Eireli EPP, também tem locação de máquinas e caçambas, fornecimento de combustível, organizações de eventos e outras diversidades, totalizando quase R$ 20 milhões e a empresa M. G. M. Construtora e Empreendimentos Ltda – EPP, e responsável pela obra do Complexo Cultural da Nova Matinha no valor de mais de R$ 18 milhões, diversas obras de reformas e construções, asfaltamento de diversos bairros, totalizando mais de R$ 30 milhões, dentro do parecer da Procuradoria Jurídica não se especificaram quais destes milionários contratos foram reincididos e os motivos que levaram a esta decisão.


A transparência da administração pública de Tucuruí está longe de ser concretizado e o site da Prefeitura de Tucuruí há tempos não e atualizado, descumprindo a Constituição Federal e a determinação das autoridades judicias.


Tentamos diversos contatos com a Procuradoria Jurídica da PMT, assessoria do prefeito e com os responsáveis pelas empresas, mas ninguém foi localizado para falar sobre a decisão do prefeito e os motivos que o levaram a estas rescisões.


Na verdade muitas pessoas que realizaram o aluguel de máquinas, barcos, veículos e diversos outros bens, estão desesperadas com o “fantasma” de não receber os valores devidos em função a rescisão contratual com a PMT.


quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Adimilson Mezzomo retoma atividades da Companhia de Trânsito de Breu Branco após convocação de concursados


Companhia de Trânsito de Breu Branco vai retornar suas atividades


Companhia de Trânsito de Breu Branco vai retornar suas atividades


WELLINGTON HUGLES

De Breu Branco

Foto: Wellington Hugles


Após o envolvimento dos funcionários efetivos que atuavam como agentes de trânsito, lotados na Companhia de Trânsito de Breu Branco, no mês de setembro de 2014, que culminou em processo judicial, e em consequência, foram destituídos de suas funções. O prefeito de Breu Branco Adimilson Mezzomo, preocupado com o avanço dos inúmeros acidentes de trânsito que ocorrem diariamente na cidade, além da falta do cumprimento das normas de trânsito, em função da ausência de fiscalização, requereu ao Ministério Público do Pará, através da Promotoria de Justiça de Breu Branco, parecer que garantisse a reativação da Companhia com o enquadramento de novos agentes de trânsito, sendo recomendado pelo MP, que fosse realizada a contratação de pessoal para estas atividades, mas Adimilson Mezzomo, informou ao Promotor de Justiça, que dentro do último Concurso Público realizado pela prefeitura, existia aprovados para esta função, foi então que recomendado a convocação dos concursados no último certame, para ocupar as vagas em aberto de agentes de trânsito, além de apoio a segurança, sendo chamados os 4 agentes de trânsito: Nilton Cesar Pereira Acrião, Clodoaldo de Sousa Santos, Fabio José Lopes Gonçalves e Iliam de Castro Batista e 4 agentes de segurança patrimonial: Alciney Mendes Cardoso, Eliel da Silva Sousa, João Raimundo Rodrigues Dias e Benedito Romão Pantoja Silva, para a garantia das atividades de fiscalização e orientação aos usuários do sistema de trânsito de Breu Branco.


Dentro da recomendação do MP, também foi autorizada a convocação de 3 auxiliares de Saúde Bucal para a  zona urbana: Jeanne Franklin Barros, Leticia Magalhães Caldas e Vânia Silva de Oliveira, que serão lotadas na Secretaria de Saúde do município.


Com esta decisão, o prefeito Mezzomo, atende ao requisito constitucional que é a convocação de concursados para o quadro efetivo da municipalidade e retorna as atividades de vital importância na segurança dos munícipes, a orientação e fiscalização do trânsito, através da Companhia da cidade.


Os convocados deverão se apresentar na sede da Secretaria Municipal de Administração, na Avenida Belém, s/n, Centro, Breu Branco, no período de 13 de Janeiro a 12 de Fevereiro de 2016, no horário de 8:00 as 12:00h, para agendamento de exames médicos e apresentação dos documentos necessários as suas efetivações.



 

Relebre o caso:
http://jornaldetucurui.blogspot.com.br/2014/09/justica-determina-prisoes-em-breu.html


Dentro da PMT: Sancler Ferreira determina exclusão de todos os filiados do SINSMUT



Dentro da PMT: Sancler Ferreira determina exclusão de todos os filiados do SINSMUT 

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí

Como de praxe, o “el ditador” Sancler “Carnavalesco” Ferreira, em um de seus “devaneios treme”, realizou uma audiência com ele próprio, e decidiu “unilateralmente” desfiliar todos os funcionários do quadro efetivo e contratados, que há anos eram associados do Sindicato dos Servidores Municipais de Tucuruí (Sinsmut). Como forma de perseguir a atual diretoria do sindicato, pelas inúmeras denuncias de malversação do erário púbico comandado pelo gestor.

A certeza da impunidade é tanta, que Sancler decidiu ditatorialmente rasgar a Constituição Federal Brasileira, e revogar um direito conquistado nas lutas populares de se sindicalizar, para a defesa de seus direitos junto aos governantes.
Isso e a demonstração que o prefeito não respeita o Poder Legislativo, que segundo ele próprio “o tem no bolso direito”, e é mais uma afronta a Justiça que ele trata como “a extensão de seu gabinete”, sem falar nos fies defensores da população, o Ministério Púbico, que segundo seus asseclas - ele tem força é com o “chefe de todos”-.

Na verdade, a impunidade administrativa deste prefeito já bateu os tabus históricos de todo o país, e a certeza de não sofrer as sanções legais, lhe deixa “a lá vonte”, para continuar a saga de perseguições e malversação do erário público.

REDE GLOBO – Infelizmente este alcaide, usa os cofres da PMT como se fosse a “gaveta de sua escrivaninha”, segundo um dos seus “gurus políticos”, a vinda ainda no final do mês de janeiro, da equipe do Fantástico, da Rede Globo de Televisão, foi abortada, graças a mais uma manobra do prefeito, com a proposta de um “polpudo” contrato de mídia, só não se garante se ele vai cumprir com sua palavra, “que isso, todos na cidade, sabem que ele não tem”, enquanto isso, o povo da sofrida Tucuruí vive a mingua sem os serviços básicos de assistência a população.

E vamos, que vamos a eleição está na porta!!!!!!!

E em Tucuruí quando vão apurar os milhões roubados dos cofres do Ipaset: Polícia cumpre mandados judiciais em Abaetetuba, por desvio em Previdência Municipal

 
Polícia cumpre mandados judiciais em Abaetetuba, por desvio em Previdência Municipal
 
A Polícia Civil cumpre, desde a madrugada desta quarta-feira (3), 14 mandados de busca e apreensão e oito de condução coercitiva, em Abaetetuba e em Belém. A ação policial faz parte da operação policial denominada "Forte de Miriti", coordenada pela Delegacia de Defraudações Públicas, com objetivo de investigar possíveis práticas de desvio de recursos públicos relacionados ao repasse de valores da Previdência Social descontados em folha salarial de servidores públicos da Prefeitura de Abaetetuba.

As buscas e apreensões estão sendo realizadas na sede do Instituto de Previdência do Município de Abaetetuba (IPMA), nas sedes da Secretaria Municipal de Administração e na Prefeitura Municipal da cidade e ainda em casas de servidores públicos de Abaetetuba, localizadas nesse município e em Belém.

A Polícia Civil vai apresentar os resultados finais da operação e detalhes da investigação em uma coletiva de imprensa às 16 horas, na sede da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), em Belém. A entrevista será presidida pelos delegados André Costa e Carlos Vieira, responsáveis pela operação.

O inquérito policial foi instaurado pelo delegado Carlos Vieira, titular da Delegacia de Defraudações Públicas, a partir de relatórios enviados pelo Ministério da Previdência Social que apontaram possível crime de apropriação indébita de valores referentes a descontos em folha salarial de servidores da Prefeitura de Abaetetuba não repassados ao órgão previdenciário. Entre as pessoas conduzidas para serem ouvidas estão servidores administrativos ligados à Prefeitura.

Todos os documentos apreendidos serão levados para a sede da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO). Os depoimentos estão sendo realizados na sede da Superintendência da Polícia Civil em Abaetetuba. A operação conta com 50 policiais civis de Delegacias vinculadas à Diretoria de Polícia Especializada (DPE), da Superintendência de Abaetetuba e do Núcleo de Apoio à Investigação de Abaetetuba.

As informações são da Polícia Civil.